domingo, 25 de julho de 2010

Les roses d'amour


"Les roses,
Les roses d'amour...
Les jeux des terres,
Le mot de toujours..."



Amor meu,
que de tanto amar
nem sei onde me perdi,
onde o erro nasceu.

Minha vida
é tua como se tudo
fosse nada, como se nada
fosse algo além da partida.

Todos os cantos do teu olhar me fazem amar.
Todos os cantos do teu olhar me levam ao mar.

Oceano de poucos mares.
Beleza pura,
pura em mim,
pura quando se morre ao sabor dos ares.

E em mim acaba este canto.
Tudo que vive em mim agora
morre de saudades,
morre sem paz, sem descanso.

Todos os cantos do teu olhar me fazem amar.
Todos os cantos do teu olhar me levam ao mar.

Todos os meus cantos são para ti.
Todos os meus cantos são para ti.

3 comentários:

  1. Tudo que vive em mim agora morre de saudades..

    Ai, vc sabe de quem eu falo, né?

    ResponderExcluir
  2. Ahhhh os erros. São tão oportunos.

    ResponderExcluir